APORTANDO EM BÚZIOS

O ano de 1988 poderia ser apenas mais um que chegava, mas não para Luis Antônio Biato Pereira dos Santos. Para ele, cada dia, mês e ano, é para ser vivido com intensidade. Em 1988 não foi diferente: Luis Antônio e sua esposa Jacqueline arrumaram as malas e foram morar em Búzios. Fugindo do estresse das obras, o engenheiro deixou o Rio ainda sem definição quanto ao ofício que se dedicaria. Comprou um terreno em Búzios, construiu sua casa, alugou uma loja no Shopping Gravatás e começou a obra sem sequer imaginar que negócio montaria. Surgiu a sorveteria Gulfstream, que depois foi ampliada e passou a oferecer também waffles e sanduíches. Cuidando da sorveteria, atuando como engenheiro civil em diversas obras, vendo a chuva cair na varanda de casa ou surfando na Praia de Geribá, a forma simples de viver marcou seus primeiros anos na pequena cidade ensolarada.

Jacqueline & Luis Antonio de mala e cuia
 

SORVETES, SANDUÍCHES E MUITA MÚSICA

A primavera de 1992 chegou e com ela a inauguração da nova sorveteria e sanduicheria no Shopping nº 1, no centro de Búzios. O shopping contava com uma praça, também de propriedade de Jacqueline e Luis Antônio, onde começaram a promover shows de rock and roll. O que num primeiro momento poderia ser apenas um acontecimento casual, potencializou o que ainda viria. Com mesas, cadeiras e um palco, a praça abrigou no primeiro ano de abertura da Gulfstream no Shopping nº 1 um grande karaokê, novidade na época, produzido em parceria com a Marlboro.

Jacqueline & Luis Antonio


O bom êxito do karaokê consagrou definitivamente a praça da Gulfstream como espaço musical. Não poderia ser diferente, a música sempre esteve presente na vida de Luis Antônio. Como correntes que se ligam de maneira a formar um todo. Filho da pianista, cantora e atriz Nelly Martins, consagrada no rádio, televisão e cinema, Luis Antônio experimentou desde cedo a sedução da experiência musical, ouvindo e cantando músicas de seresta com o seu avô, que tinha um conjunto musical e fingia não saber cantar para que Luis Antônio o acompanhasse cantando.

 

O CONVÍVIO COM GRANDES MÚSICOS

A magia dos sons fez com que experimentasse uma familiaridade imediata com a música. Quando tinha oito anos, sua mãe casou-se com o maestro e compositor Radamés Gnattali (foto) e foram morar no Jardim Botânico. O grande músico, que com naturalidade circulou entre o erudito e o popular, mantinha em todo o tempo a casa repleta de personalidades como Tom Jobim, João Bosco, Paulinho da Viola, Dorival Caymi, Rafael Rabelo e outros tantos mais.

O Maestro e Compositor Radamés Gnattali

Professores para ensinar Luis Antônio a tocar violão e piano não faltavam, mas o menino optou por aprender sozinho e sem muito comprometimento, preferindo se dedicar ao seu esporte preferido, o surf. Ainda assim, Luis Antônio conviveu com alguns dos nomes que melhor representam a música brasileira: “Um dia eu estava tentando tocar Garota de Ipanema no piano, quando senti a presença de pessoas atrás de mim. Quando me virei, vi Radamés e Tom Jobim. Radamés pediu que eu fosse tocar no meu piano para não desafinar o dele, já que eu não sabia tocar e só ‘masturbava’ o piano. Tom, então, se sentou ao meu lado e me ensinou como tocava Garota de Ipanema”, relembra Luis Antônio.

Para Luis Antônio os instrumentos foram a maneira encontrada para fazer o que lhe dava mais prazer, cantar. Durante a juventude foi convidado para ser vocalista de duas bandas. Mas a mãe, com opiniões firmes, disse que Luis Antônio deveria antes de tudo fazer uma faculdade e que a música não lhe garantiria o futuro. Um pouco mais tarde, quando quis montar uma equipe de corridas de carro, a mãe novamente foi decisiva: os estudos deveriam vir em primeiro lugar. Formou-se engenheiro.

 

KARAOKÊ DESVENDA TALENTO INATO

A história deste empresário que trocou a engenharia pelo sorvete, e depois pelos drinques, pizzas, shows e vestimentas, é cheia de mudanças de curso promissoras. O sucesso do karaokê que definiu a Praça Gulfstream como espaço musical, fez com que a música, mais uma vez, cruzasse a estrada de Luis Antônio. Ele era sempre convidado a cantar no karaokê quando queriam melhorar o nível dos participantes.

O Intérprete Luis Antonio


Após o Karaokê, Luis Antônio convidou Luis Carlos, “um músico de voz aveludada”, como o intitulava, para tocar no bar. Alternando espetáculos musicais com outros músicos, Luis Carlos tocou durante três anos na Gulfstream.

 

UM GUITARRISTA CABELUDO
... E UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA

Em 1998 Luis Antônio conheceu Richard (foto), um músico singular: muito alto, com longa cabeleira e barba. Richard chamou a atenção de Luis Antônio porque estava fazendo, numa pizzaria em frente ao shopping, um som diferente de todos os shows de barzinho que se ouvia na época.

Mestre Richard


Não pensou duas vezes e o chamou para tocar na Gulfstream. Os dois logo reconheceram traços característicos muito semelhantes. Por ter morado durante um ano nos Estados Unidos em 1975, Luis Antônio absorveu a música que se revelava com intensidade na era do amor livre, pós-woodstock e das Kombis pintadas com flores. O entusiasmo e a admiração de Luis Antônio e Richard por músicos e bandas de então, era semelhante: Eric Clapton, Bob Dylan, Creedence, Peter Frampton, Aerosmith, Pink Floyd, Joe Cocker.

Mesmo antes de se conhecerem, Richard e Luis Antônio moraram na mesma rua quando crianças e partilharam a paixão por enduros de moto, chegando até mesmo a correr juntos. Entre outras tantas coincidências, Richard ao concluir a faculdade nos Estados Unidos escolheu a vida de Radamés Gnattali como tema do seu trabalho final.

Por isso, não foi de estranhar que Richard convidasse Luis Antônio para, vez por outra, cantar algumas músicas na Praça Gulfstream. De música em música, os pedidos de Richard eram cada vez mais freqüentes. Em pouco tempo Luis Antônio comprou um teclado e passou a tocar todos os dias com o admirável músico cabeludo. Na mesma época, a Gulfstream foi reformada: o espaço da sorveteria passou a abrigar uma loja de roupas infantis e camisetas para adultos e a praça onde ficavam as mesas da sorveteria, recebeu um novo palco e um estruturado quiosque-bar.

 

MÚSICOS DE VALOR
NA TRAJETÓRIA DA GULFSTREAM

O convívio com Richard foi uma experiência única para Luis Antônio, que com ele aprendeu não apenas música, como também a se relacionar com o público. Os dois tocaram juntos com a fera do saxofone Josué Lira (foto), até que Richard decidiu se aposentar. Na busca por um substituto, o amigo e baterista Lidney apresentou o guitarrista Juninho (foto). Meia hora após Juninho iniciar o show de apresentação, Richard declarou: “Esse é, sem dúvida, o cara que vai me substituir”

Richard e Josué

Antes da entrada de Juninho, que precisou de dois meses para completar os compromissos com a Banda Mel, Luis Antônio tocou  com Josué, que com a chegada de Juninho em novembro de 2002, passou a se dedicar a sua escola de música, tocando somente nos feriados e nas gravações de Cds.

Guitarrista Juninho

Outros tantos músicos tiveram valor na trajetória da Gulfstream: o guitarrista Kubero Diaz e o percussionista Feijão, que durante um tempo tocaram com Luis Antônio. Teve ainda o guitarrista e cantor Marcelo Bluesman, que junto com Feijão ainda hoje realiza memoráveis apresentações inesperadas no bar; o violonista e cantor Gladston, a cantora Aline; o guitarrista Agustim e o cantor e guitarrista Milton Brasil.

Não ao acaso que Luis Antônio brinca que depois que tocou com Richard, Juninho e Josué, prefere nem ouvir as gravações originais das músicas que tocam, pois poucas se comparam às versões do trio. “Quem vai querer ouvirSympathy for the devil cantado por Mick Jagger quando pode ouvir na voz de Richard? E os solos impossíveis de Juninho, como em Confortably Numb e a pressão e suavidade do sax do Josué? São músicos que interpretam diversos estilos de ritmos musicais com características diferentes”, pondera Luis Antônio.

 

AS AVENTURAS

Luis Antônio sempre foi surpreendente: quer nos esportes praticados, nas aventuras e viagens. Com a mochila nas costas, pedalando sua bike ou em cima de uma moto, já percorreu diversos países da América do Norte, América do Sul, Europa e África. Em 2005, após uma viagem de moto aos Estados Unidos, decidiu rebatizar o bar, que passou a ser conhecido como The House of Rock’n’Roll, enquanto a loja de roupas permaneceu se chamando Gulfstream (Corrente do Golfo, em inglês) em homenagem ao barco homônimo que tinha quando optou morar em Búzios há 20 anos. Na loja podem ser encontradas roupas infantis da grife Ziggy e até mesmo camisetas com estilo bem buziano ou rock and roll, criadas por Luis Antônio.

Tour d´europe 2


Route 66 USA
 

A NOSSA CASA EM BÚZIOS

Há uma certa alegria ilimitada na Gulfstream na forma como distribui sedução e encanto, reunindo amigos e/ou figuras célebres, como o grande Pompeu (foto), percussionista que Luis Antônio conheceu na Praia de Varadero, em Cuba, quando Pompeu passeava com seu Buick vermelho de estofamento branco, repleto de mulatas e tequila.

Pompeu curtindo a adoidado

Especial bar este que em determinados momentos transcende a realidade material e a condição humana, que sabe receber, ouvir, sentir. Os amigos são incontáveis, como o percussionista Feijão, etíope de nascimento e que até hoje não fala o português e o encantador Franco, que com menos de três anos de idade deixa a platéia maravilhada com seus solos de guitarra.

Tem ainda a Bia, amiga do Luis Antônio há trinta anos quando se conheceram num bar dos Ossos durante um show quando Luis Antônio deu umas canjas, e que não perde a oportunidade de acompanhar as músicas no pandeiro.

Ou ainda, o irreverente e apaixonado Cabelada (foto), que Luis Antônio já levou diversas vezes para a França. São muitos os clientes que viraram amigos e que trazem muito prazer cada vez que retornam.

Cabelada e Bia
 

OS NATIVOS

São seres que na sintonia fina com a simplicidade, compõem uma Búzios que existiu há muito tempo. Uma aldeia charmosa e inocente, de tipo olho fechado e coração aberto. Era, e em algum lugar perdido no meio de tanta balbúrdia, ainda hoje é a Búzios da nossa Renata Deschamps (foto): chique ao mesmo tempo em que simples, charmosa e despretensiosa. Renata querida, especial criatura essa que sabe tão bem que a Búzios mítica está na cumplicidade do sol, na grandeza do oceano e na fartura das cores, tons e seres que compõem esta aldeia global.

Renata & Alexia Deschamps
 

OS PARCEIROS

Não podemos esquecer do fotógrafo Paulinho Ribeiro que mora agora na Europa e, de vez em quando, vem matar a saudade. Os amigos da Gulfstream são vários e estão sempre por lá. Neste espaço além dos limites da percepção ordinária, navega a solidariedade, o respeito, o companheirismo, onde foram amarradas grandes amizades. Feitos, desfeitos e refeitos relacionamentos e casamentos.

Fotógrafo Paulinho Ribeiro

Gente que veio, gente que foi, gente transbordante, gente emocionada. Por lá, a noite de Búzios acontece. Uns preferiram ficar em silêncio, outros gritaram desesperadamente. Muitos choraram e outros tantos riram, com alegria, satisfação e prazer. Sim, porque neste lugar magnético, onde as pessoas são naturalmente afetivas, algo mais forte une a todos, a música da Gulfstream – The house of rock’n’roll.

Oh, yeahh !!!

^TOPO DA PÁGINA^